segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Compulsão por compras

O ato de comprar é um comportamento natural e necessário para os indivíduos. Compramos produtos alimentares, artigos de vestuário, compramos também serviços essenciais ao nosso conforto, entre outras coisas que atendem às nossas necessidades e condições. Mas até aonde nosso ato de comprar é essencial, e até aonde ultrapassa os limites tornando-se uma compulsão?


Responda às seguintes perguntas:
Você compra para se sentir bem? Compra para aliviar um mal-estar ou uma frustração momentânea?
Faz compras do que realmente está precisando?
Compra apenas até aonde seus recursos financeiros permitem?

Se você respondeu desfavoravelmente a essas perguntas, você pode ser um comprador compulsivo.

Há pessoas que compram pela necessidade de adquirir bens para consumo e as que compram por qualquer motivo. Embora afete ambos os sexos, são as mulheres que mais procuram ajuda profissional. Entre os homens, o impulso atinge especialmente jovens com conflito com a própria imagem.

Determinar a compulsão por comprar como patológico é algo difícil por ser um fenômeno socialmente aceito, por tratar-se de uma espécie de "dependência" autorizada e bem vista socialmente. Essa é uma das razões pelas quais a compulsão por compras ainda não foi especificada no CID 1O (um manual para diretrizes diagnósticas). Pesquisas indicam que 90% dos consumidores efetuam aquisições compulsivas. (As estatísticas mostram números elevados). Não é difícil de confirmar as pesquisas, pois todos nós em algum momento já compramos por impulso ou empolgação.

As compras funcionam como uma espécie de droga leve: o consumidor só se satisfaz quando adquire o produto desejado. Porém, a compulsão pode comprometer o equilíbrio emocional e o orçamento familiar. Entretanto, a impossibilidade financeira de satisfazer desejos de consumo aumenta a ansiedade do indivíduo. Há pessoas que após dois, ou três dias evitando o impulso, relatam ter sensações equivalentes às da abstinência de drogas. Apesar das semelhanças, a obsessão pelas compras não coloca a vida em risco como no alcoolismo, ou na dependência química, o que leva a sociedade a ter uma visão superficial sobre as consequências do transtorno.

É importante informar, que o consumo compulsivo funciona como uma espécie de atalho, ou fuga, para sanar as carências. Ele pode estar associado à frustração, solidão, tristeza, raiva, ou transtornos psiquiátricos, além de sinalizar dificuldades de relacionamentos. Em momentos de ansiedade, quando se sentem mal adaptadas, as pessoas podem tentar suprir carências afetivas substituindo relações mais complexas pela aquisição de objetos que não as rejeitam e nem as decepcionam. Com interesse específico na venda, a publicidade recorre a essas características psicológicas, justamente para responder a essas crises existenciais e afetivas. Sim, existem pesquisas e observação atenta ao comportamento do consumidor (feita por antropólogos e psicólogos) para que o marketing seja melhor atingido.

A neurociência afirma que as compulsões causam alterações na liberação de neurotransmissores, pois a dependência surge da busca de uma situação prazerosa à qual nosso cérebro se habituou. Embora represente uma satisfação imediata a compra compulsiva acaba devolvendo à pessoa a angústia.

Com relação ao tratamento, em alguns casos, é feito o uso de medicação. Psicoterapia é a mais importante para que a pessoa recupere o controle sobre seu comportamento.
Dica: anotar todos os itens comprados num dado período, para identificar neles os que foram necessários ou não, assim como os que estão realmente sendo utilizados ou não. Depois de analisar sua lista, você pode comprovar o quanto faz gastos desnecessários.

Seu bolso, sua vida social e saúde emocional agradecem!


Mileni Barros


6 comentários:

  1. Mileni, dá pra vc voltar pro face?? rssss
    Poxa garota, quero te marcar lá nas paradas que leio e não possoooo.

    Dá pra atender o cel também?
    rssss
    :p
    Saudade minha linda.
    ah, o blog tá demais.
    Rodrigo

    ResponderExcluir
  2. Huauauauuu... rsrs
    Vou vê se volto para o face... :-p

    Saudade de vc!
    Liga de novo, na hora q ligou eu estava trabalhando né?
    hehehehehehhe

    Bjooooo

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Deu o recado de maneira simples,s em mto encheção de linguiça e informou o necessario.
    gostei mesmo.
    bárbara.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Bárbara!
    Visite sempre o Divã!
    Abraços.
    ;-)

    ResponderExcluir
  5. O Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP busca pessoas de 21 a 60 anos, que apresentam compulsão/descontrole por compras (oniomania), para participar de estudo. Para os selecionados, serão oferecidos tratamentos médico, medicamentoso e psicoterápico.

    Oniomania ou Compras Compulsivas é caracterizado por:

    * Preocupação excessiva e perda de controle sobre o ato de comprar.
    * Aumento progressivo do volume de compras.
    * Tentativas frustradas de reduzir ou controlar as compras.
    * Comprar para lidar com a angústia, ou outra emoção negativa.
    * Mentiras para encobrir o descontrole com compras.
    * Prejuízos nos âmbitos social, profissional e familiar.
    * Problemas financeiros causados por compras.

    Os interessados deverão entrar em contato pelo telefone do Pro-AMITI (11) 2661-7805 ou enviar um e-mail com telefone de contato para compradorescompulsivos.hc@gmail.com

    Site:www.amiti.com.br
    https://www.facebook.com/hospitaldasclinicasdafmusp/photos/a.1398287123773264.1073741828.1391979501070693/1587938034808171/?type=1&theater

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Agradeço a visita. Estarei divulgando esse estudo.
      Bom trabalho e sucesso!
      Mileni Barros

      Excluir