quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Mídia e comportamento

Há algumas semanas eu venho pensando em como publicar essa matéria de forma simples, eficiente e convincente. Falar sobre a influência da mídia (mais especificamente das novelas) sobre o nosso comportamento e atitudes, destas formas que mencionei, é quase um trabalho de ninja (rs), porque sempre tem muito para dizer e a ser explicado e porque falar da mente humana é o mesmo que retratar a complexidade dos indivíduos. E como se não bastasse, eu (essa moça que vos escreve, rs) ainda quero falar sobre isso de maneira simples e convincente. Contudo, ao menos a intenção de INFORMAR eu posso exercer com propriedade.

De qualquer forma, vem comigo, porque o assunto é relevante e somos de alguma forma afetados por ele: A INFLUÊNCIA DA MÍDIA SOBRE O NOSSO COMPORTAMENTO.


Desde o ano de 2011 eu parei de assistir televisão, mais especificamente novelas e programas de auditório. Na época eu parei de assistir por que estava estudando para concurso e eu precisava me empenhar em meu objetivo. A fase de estudo passou e eu acabei aderindo para a minha vida a conduta de não mais assistir esses tipos de programas que cito acima. Assisto filmes e algumas séries quando tenho tempo, ou algumas  reportagens, mas enfim, nada que crie em mim um vínculo ou compromisso com qualquer programação. Não tenho aversão à tv, não compreenda dessa forma, eu apenas não me dedico à ela.

Bem, há algumas semanas atrás, minha mãe me chamou para assistir uma cena em uma dessas novelas que está sendo transmitida, e desde então eu senti vontade de falar sobre isso aqui no Divã.

A cena em que vi é na atual novela das 21h. A personagem, que é feita pela atriz Fabiana Karla, é uma moça virgem. Pesquisei aqui no Google o nome da personagem e diz que é Perséfone (oi? rs). Em uma das cenas, uma terceira pessoa tem a intenção de "ofender" a Perséfone. Imaginem como!! Chamando-a de virgem! Daí essa pessoa grita para todo mundo ouvir que ela é virgem, e a personagem fica brava, não querendo que os outros ouçam essa "atrocidade" a respeito dela. rs... Ainda no mesmo dia, vi que a tal Perséfone é zombada pelos colegas de trabalho, e sua "melhor" amiga tenta arrumar alguém (um garoto de programa) para tirar a virgindade da moça. (Transmitindo a ideia de que ser virgem é quase um "atentado ao pudor", afinal ela deve "ferir" o caráter dos amigos desvirginados, não é? ai, ai...). Bem, além de virgem, achei interessante algumas outras coisas que a novela transmite sobre a Perséfone: a personagem é gordinha, é carente, é alvo de chacota, não demonstra segurança e firmeza de opiniões, possui baixa autoestima e seu figurino não é "alta moda", ela não tem o cabelo da moda, o corpo da moda, não é estilosa e até o nome é esquisito... (Mensagem subliminar: não queira ser uma virgem. Virgens são pessoas desatualizadas, mal amadas, desinteressantes e caçoadas pelos outros).

Do outro lado temos a personagem Patrícia: a bela Patrícia! Moça linda, com um homem lindo correndo atrás dela (um não, porque agora são dois, rs), magra, super estilosa, descolada (rsrs... acho engraçado como os adolescentes gostam dessa palavra, rsrs) e "bem resolvida". A Patrícia é tudo o que os padrões ditam: magra, bonita, ela sim tem o cabelo da moda, os óculos da moda, as roupas da moda... A Patrícia é um "charme só". Nem o nome esquisito ela tem. rs. Mas adivinhem!!!! A Patrícia não é virgem!!!! Muito pelo contrário, sua vida sexual é "suuuper-bem-resolvida": ela é pega em flagrante por amigos transando no estacionamento do hospital em que trabalha. A Patrícia já nem liga mais. "Ah, fala sério né, fazer sexo com o colega dentro de um carro no estacionamento, é super normal...". (Aham, sei). (Mensagem subliminar: meninas, sejam descoladas, modernas e saiam fazendo sexo por aí. As moças "free sex" são mais interessantes). Imagem de interessante por fora, sentimento de menos valia por dentro. Na prática é isso o que acontece.

Um outro dado interessante, é que não selecionaram uma personagem do estilo da Patrícia para ser a virgem da história. Imaginem uma moça linda, tranquila, elegante, bem arrumada, inteligente, admirada e virgem. Nunca que a mídia quer que você se inspire nesse perfil. Eles querem nos convencer que não existem moças assim. Querem nos fazer acreditar que moças com essas características e de vida sexual reservada não podem existir, pois é cafona e brega. Isso descaracteriza o imaginário feminino e fomenta crise de identidade nas moças solteiras.

Dada essa exposição, vamos a parte mais importante que você precisa saber:

- nossa comunicação é 70% NÃO-VERBAL. Isso tudo o que eu descrevi nas descrições das personagens, é o que elas nos transmitem de maneira não verbal, sem ao menos fazerem uso da linguagem verbal.
- o seu cérebro capta todo esse "discurso" sem que você perceba de maneira totalmente consciente.
- somos seres influenciáveis e sugestionáveis. Por isso que a moda "pega", o sotaque influencia, os gostos alimentares de uma determinada região ou povo são os mesmos. É dessa influência que se faz uma cultura, o comportamento aceitável coletivamente. As pessoas não gostam de se sentirem diferentes.
- uma das formas mais eficazes de influência é a pressão social, isto é, a alegação de que nós devemos ser iguais aos outros: em escolhas, comportamentos, maneiras de ser, vestir, pensar, etc...
- a mídia pode alterar, ou enfraquecer seus valores morais e éticos.
- existem mensagens subliminares por trás de comportamentos de grupos ou individuais, por trás da publicidade, por trás de qualquer comportamento dito como "nada a ver".
 
O que você precisa fazer é:
- captar essas mensagens destrutivas que alguns programas de tv transmitem e torná-las conscientes para que suas ações não sejam frutos da influência deles.
- Fique atento. Cuidado com as mensagens que você alimenta em sua mente. Cuidado com a "moda", principalmente com os chamados "padrões de comportamentos socialmente aceitos". 
- Cultive bons princípios e valores enraizados dentro de você. 
- Critique a televisão, vendo-a muito além do que ela de fato transmite.
- Pais, conversem com seus filhos, desenvolvendo neles um senso crítico e uma percepção mais apurada acerca dessas coisas.

E por último, quero falar com as minhas leitoras moças, jovens e adolescentes: O GRANDE LANCE É SE VALORIZAR! Sexo não segura ninguém! PRESERVE SUA IMAGEM E SEU CORPO. Não importa o que digam de diferente: finca isso dentro de você, como uma raiz no solo, ainda que o Caio Castro apareça com flores vermelhas na porta da sua casa*. rs... Viuuuu? ISSO SIM É SER BEM RESOLVIDA!!
 ;-)


Abração,
Mileni.




*Uma das cenas dessa novela a que me refiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário