quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Você é tímido ou introvertido?


Escrito por Mileni Barros
Psicóloga & Coach
Hipnose Terapêutica

Frequentemente ouvimos pessoas ao nosso redor afirmarem que são tímidas, apesar de não acharmos que elas sejam, pois se expressam bem e são consideravelmente sociáveis. Outras vezes, vemos pessoas com comportamento retraído, mas elas não se consideram tímidas. E ficamos com algumas dúvidas: "eu acho que ele é tímido"; "ah, eu não acho, você não vê como ele conversa sem inibições?"; "ele conversa com todo mundo, mas é fechado". Ouvindo todos esses comentários, podemos pensar:  é tímido, é inibido, ou é introvertido? Para responder esses questionamentos, precisamos saber diferenciar os termos. Conhecer essa diferenciação é importante para você desenvolver o autoconhecimento e também para os profissionais (professor, gestor, líder, atendente, médico, etc) saberem lidar melhor com alguns  perfis de pessoas, cujos temperamentos se revelam no dia a dia.

Falaremos especificamente sobre dois deles, o tímido e o introvertido.

É possível notar que existe muita confusão entre os significados de timidez e introversão. Geralmente, as pessoas os usam como sinônimos, mas apesar da relação, não são a mesma coisa.

Segundo o dicionário, introversão é a ação, ou resultado, de voltar-se para si mesmo. Ou seja, é o ato de voltar as emoções inicialmente para si, para só depois reagir com efeito emocional para fora de si. O introvertido processa as informações primeiro, antes de emitir sua opinião, porque ele PRECISA  de um espaço próprio, gosta de se recolher e de pensar.




O psicólogo Carl Jung estudou as atitudes introvertidas e extrovertidas das pessoas. Segundo ele, a energia do introvertido é dirigida para seu interior. Uma pessoa introvertida, segundo Jung, é mais contemplativa, introspectiva e resistente a influências externas, podendo ser menos sociáveis em relação às extrovertidas.

Dizer que alguém é introvertido ou introspectivo, é dizer a mesma coisa, pois segundo estudiosos essas expressões são sinônimas.

A pessoa introvertida se mobiliza mais pelo subjetivo do que pelo objetivo. Ela elabora primeiro uma opinião subjetiva a partir da percepção que ela tem dos estímulos que lhe são apresentados.

O introvertido se prende mais à impressão subjetiva que o mundo é capaz de produzir nele. Certa vez ouvi um exemplo que se encaixa muito bem nessa descrição. O introvertido tem a sensibilidade necessária para compor uma música, enquanto a pessoa extrovertida tem mais facilidade para dançar essa música.

A pessoa introvertida também observa as condições exteriores e objetivas como qualquer outro ser humano, ela apenas privilegia o componente subjetivo.

Geralmente, os introvertidos veem os extrovertidos como efusivos e extravagantes. Os introvertidos agem sob a influência de ideias, conceitos, valores éticos, culturais ou poéticos. Eles têm opiniões bem definidas sobre as coisas e costumam sentir alguma inadequação com relação à adaptação de novidades no ambiente que antes era comum. 

A relação introversão/timidez está no fato de que grande parte das pessoas introvertidas acumula também características de timidez. Para entender melhor, vejamos a introversão como forma de temperamento e a timidez como consequência comportamental da introversão.

Os UNICAMENTE introvertidos NÃO têm medo ou vergonha, da exposição ao público, ou das relações sociais, que são provenientes da timidez. Eles simplesmente não fazem questão de tal exposição ou interação, entretanto, se for preciso falar em público, ou trabalhar em equipe, eles o fazem com tranquilidade. Se você se encaixa nos critérios da introversão, mas ainda assim, sente-se retraído ou com vergonha da interação e exposição social, é por que você é TAMBÉM uma pessoa tímida. Para quem observa de fora, o tímido e o introvertido parecem iguais, mas não são.

Vamos agora entender o que é a timidez, cujo significado do dicionário, é inibição e acanhamento.

   
Na timidez a pessoa tem um desconforto quanto a exposição de si mesma e quanto a opinião  de outra pessoa a seu respeito, e por conta disso, acaba evitando o contato e a interação com pessoas e grupos diferentes aos que já está habituada. A timidez é uma inibição na presença de outras pessoas, e apresenta níveis que podem variar de acordo com a situação e a intensidade.

Algumas pessoas tímidas evitam, por exemplo, falar em público, pelo fato de detestarem ser alvo de atenções e por  ficarem constrangidas por verem um maior número de pessoas olhando para elas. O tímido não gosta de ser o centro das atenções. 

Não podemos confundir timidez com fobia social (ou ansiedade social). Não estamos tratando sobre este tema, mas posso adiantar que são necessários critérios diagnósticos para colocar a timidez num nível de transtorno a ser tratado, o qual a psiquiatria nomeia como citado acima: Fobia (ou ansiedade) social, que é o medo patológico da exposição e interação sociais. É o medo intenso e paralisante da crítica do outro a seu respeito.

Existem alguns fatores hereditários que contribuem para o desenvolvimento da timidez, mas ainda assim, o meio social, o tipo de educação familiar e as experiências ao longo do desenvolvimento humano, contribuem significativamente para a formação de um temperamento tímido.

Geralmente, o extrovertido é muito valorizado socialmente, e isso faz com que o tímido sinta-se inadequado, pois o primeiro costuma ser muito mais comunicativo e expressivo, demonstra APARENTEMENTE mais autoconfiança e às vezes é engraçado. Quem não gosta de pessoas assim? Contudo, existem os contras em ser sempre extrovertido, assim como existem os prós em ser tímido. 

Os tímidos e introvertidos costumam ser mais cautelosos nas relações por serem naturalmente mais ponderados. Eles também não falam desnecessariamente e não são inconvenientes. Costumam ser concentrados e são ótimos amigos e ouvintes.

Se a timidez incomoda, é possível amenizá-la. Procure estar inserido em pequenos grupos sociais, fazer um curso básico de teatro, dança, ou uma psicoterapia para entender os mecanismos psicológicos e condicionamentos negativos que fazem de você uma pessoa tímida. Se isso te prende, ou impossibilita o progresso de alguma área da sua vida e você acha que poderia ir além se não fosse a timidez, faça algo para expandir suas habilidades. Mas lembre-se sempre: o primeiro passo é você se aceitar e apreciar sua essência humana.


Mileni Barros
Psicóloga 






  

 


 

17 comentários:

  1. Esse texto foi bastante esclarecedor pra mim. Percebi que sou com certeza introvertido, mas talvez não seja tímido, ao contrário do que eu pensava. Obrigado pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sua visita e comentário, Samuel.
      Fico muito feliz em tê-lo ajudado.
      Continue nos visitando.
      Abraço.

      Excluir
  2. Tenho lido muito sobre timidez ultimamente e na minha opinião este texto foi o mais esclarecedor, com linguagem simples e com possíveis soluções para este problema angustiante. Obrigada pela ajuda.

    ResponderExcluir
  3. Simone,
    muito obrigada pela sua visita e comentário.
    Agradeço sua opinião e continue nos visitando.

    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto. Sou as duas coisas, introvertida e tímida, então as duas características, embora distintas, parecem o mesmo pra mim. Agora entendo melhor porque evito a todo custo estar em festas ou em outro ambiente em que tenha várias pessoas. Com exceção de um shopping ou uma praça, gosto de passear em ambos sozinha, com minha mãe ou um amigo. Nesse ponto, gosto de ver o movimento das pessoas, andando pra lá e pra cá.
    Gosto de sentar num branco de praça comendo pipoca e apreciando o que acontece ao redor.

    Minha mãe não me entende muito , acha que eu não gosto de me socializar por inibição. Diz que ao menos eu deveria tentar vencê-la buscando estar mais vezes junto de outras pessoas. Mas eu não tenho o mínimo interesse de estar no meio de um monte de gente sem ter nada pra dizer.

    E quanto à timidez, sim, me sinto desconfortável quando diversos olhos se voltam para mim. Fico suada e com as mãos frias quando estou nervosa, quando tenho de apresentar um trabalho. Nem estar atrás de um computador me faz deixar a timidez de lado. Não posso omitir o fato de que a timidez me atrapalha em alguns momentos, sobretudo na hora de ir atrás de emprego. Tenho 31 anos e nunca tive um emprego fixo, só fiz alguns bicos como desenhista e dei aulas particulares de inglês. Parece que não tenho coragem de ir atrás de emprego. O próprio empregador já me olha e acha que eu não vou dar conta. A linguagem corporal denuncia a timidez. Nem pra entrevista eles chamam. Eu tenho uma sensação de que sou uma pessoa que não é capaz de realizar nada, de ser inadequada.

    Sempre vejo essa sugestão de fazer curso de teatro, mas ela não me agrada. Estudei Artes e havia uma disciplina que era teatro, e eu fugia dela. Sei lá, vejo isso como pagar mico e uma coisa que não suporto é a de me submeter a esse tipo de situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriana. Em primeiro lugar, muito obrigada pelo seu comentário útil e enriquecedor aqui no Divã.

      Pelo que você comentou, sua introspecção é alimentada por sua inibição. Com certeza você apresenta das duas características, mas a pessoa que é somente introspectiva ela não tem dificuldade de se expor em público. Ela pode até não procurar por essa situação, mas ela faz se necessário for.

      Gostaria de deixar claro, que estar numa situação de destaque e em público é sempre algo difícil de ser encarado pela maioria das pessoas. É normal alguma apreensão quando sabemos que vamos nos expor.

      A sugestão de fazer teatro não te agrada porque te incomoda. É o mesmo que te colocar diante de um enfrentamento pelo qual você não quer se submeter, devido ao desconforto. Tudo isso é compreensível, Adriana.

      Mas quero te incentivar a enfrentar suas dificuldades. Procure um psicólogo para que você supere essa percepção de inadequação. Aceite desafios. Tenho certeza que existem dentro de você vários talentos escondidos atrás da timidez. Você é capaz, Adriana. Vá em frente! Não desista!

      Precisando de qualquer orientação, estou aqui.
      Abração.
      Volte mais vezes!

      Excluir
  5. Olá Mileni, sou mãe de um menino de 11 anos, e acredito que ele seja uma criança tímida e não introvertida. Meu filho é extremamente ansioso, demonstra muita preocupação com o que os outros pensam dele e tem uma percepção negativa da sua imagem, não gosta de ser o centro das atenções e nem de chamar a atenção de qualquer forma, fala baixo em ambiente que tem mais pessoas, sempre com medo de reprovação, não gosta de cumprimentar as pessoas, mas eu peço e ele cumprimenta. Porém, ele gosta muito de brincar, por exemplo sempre estar com um primo ou um amigo em casa nos finais de semana. Na escola participa das atividades esportivas, mas morre de vergonha e entra em desespero de chegar atraso por exemplo, ou chega a omitir seu aniversario para que ninguem cante o parabens por causa do "com quem será". Tem amigos e se dá bem com todos na escola, todos gostam muito dele, quando ele se sente seguro com alguma pessoa, ele conversa bem e se descontrai. O que me deixa aflita em querer ajudá-lo é que vejo que ele sofre muito com essa percepção errada sobre si mesmo e muita preocupação com o que os outros pensam dele, me parece muito sofrimento e angustia o que deixa ele muitas vezes travado em demonstrar o que sente... eu acabo ficando muito preocupada e não sei se tudo isso é motivo para eu procurar ajuda ou até que ponto acabo por prejudicá-lo se eu demonstrar essa preocupação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida mãe,

      em primeiro lugar obrigada pelo seu comentário aqui no Divã.

      Percebo que é uma mãe atenta, e compreendo sua preocupação.
      Pela sua descrição, realmente seu filho tem características evidentes de timidez.

      A ansiedade dos pais pode ser algo desfavorável sim. Vc está certa em buscar o equilíbrio da sua preocupação e dos cuidados para com ele. O que eu diria pra vc é primeiramente para relaxar. Sua percepção e feeling de mãe já são pontos positivos a favor.

      A segunda coisa que recomendo é que você transmita a seu filho, de maneira gradativa, que você aceita os traços de timidez dele. E faça com que ele também primeiro se aceite. Levando em conta, claro, que ele é um menino de 11 anos e com uma fala pontuada para a sua idade. Não precisa ser uma conversa, mas faça pontes com histórias de outras pessoas que vcs ouviram falar, ou enquanto assistem tv, por exemplo, que a timidez é uma característica de personalidade, assim como a fluência verbal também é uma característica. Olha que interessante: o primeiro passo para mudar algo é a ACEITAÇÃO. Se aceitar primeiro, pois isso alivia a ansiedade. E com isso, vc como mãe e uma boa auxiliadora, pode mostrar ao seu filho que ele pode estar nos ambientes públicos mas sem perder o jeitinho dele. Isso contribui para que aos poucos ele se solte. Mas lembrando sempre que isso é um processo. Não se deve forçar a barra, ou colocá-lo em situações de constrangimento e vexame. A pior coisa que pode acontecer a um tímido é fazê-lo se tornar alvo de vexame. Incentive aulas, cursos, novos amigos. Peça a opinião dele a respeito das coisas em casa. Promova autosegurança dele.

      Se ainda assim, você perceber que a timidez está se tornando mais evidente, ou evoluindo, procure a orientação de um profissional aí pertinho de vc.

      Espero ter ajudado um pouco. Qualquer dúvida estou aqui novamente.

      Grande abraço.

      Excluir
  6. Olá, primeiramente, o texto é bastante esclarecedor, parabéns!
    Então, lendo alguns textos e assistindo alguns vídeos que falam sobre esse mesmo assunto, cheguei a conclusão de que sou introvertido.
    Algumas pessoas na minha família e amigos se sentem incomodados pelo modo que eu levo a minha vida. Sou muito reservado. Raramente saio de casa, com execessão de quando vou resolver alguma coisa ou vou para o curso.
    Sou bastante brincalhão e tagarela quando estou em uma roda de amigos, porém, existe um limite para esse meu "lado sociável". Na maioria das vezes eu gosto de ficar no meu quarto, no computador ou assistindo filmes, sozinho. É algo que para mim é maravilhoso.
    É claro que, às vezes, sinto vontade de sair, conversar com amigos e passear, e quando eu faço isso eu me divirto. Mas depois sinto como se eu ficasse "cansado" de uma forma física e mental, e preciso de um "tempo" para recompor minhas energias para sair na próxima vez.
    E ligação é a pior coisa que existe pra mim. Se tem uma coisa que eu detesto é ficar conversando pelo celular, até deixo o celular em modo avião para que as pessoas não me liguem. Por mais que seja um ligação importante, eu me sinto irritado, como se a pessoa estivesse sendo invasiva.
    Alguns familiares e amigos me chamam de estranho ou bicho-do-mato, pelo fato de eu viver isolado. Já estudei em várias escolas e já fiz vários cursos, porém, tenho pouquíssimos amigos e não sinto necessidade de manter contato com eles. Não é que eu tenha dificuldade em fazer amizades, pelo contrário, esse meu jeito brincalhão até cativa facilmente as pessoas, mas eu simplesmente não sinto necessidade de manter amizade, sair, conversar, etc.
    Até quando parentes ou amigos procuram vir aqui em casa eu me sinto irritado se eles passam além do tempo necessário.
    Por um tempo cheguei a sofrer com isso. As pessoas diziam para eu mudar esse meu jeito, que não era saudável e provavelmente era algum problema psicológico. Hoje eu aprendi que isso faz parte da minha personalidade, não uma doença ou problema psicológico. Se eu me sinto feliz assim e não prejudico ninguém, não vejo razão para mudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por sua visita e por essa rica opinião aqui no Divã, William.
      Comente mais vezes!
      Forte abraço. Sucesso.
      ;-)

      Excluir
  7. Olá Mileni, gostaria de dizer que adorei o post, realmente me ajudou muito.
    Enfim, sou uma pessoa peculiar! Mas acima de tudo sou boa ouvinte e amiga, autruísta demais as vezes.


    Em casa sou impossível. Pulo, danço, canto, brinco, grito e sempre busco estar de bom humor. Minha mãe diz que poderia ser comediante, pois realmente sou muito desinibida, apenas assuntos pesados e desbocados me constrangem.

    No curso, sou mais contida, mas mesmo assim, engraçada. Sou apenas introspectiva, analítica. Mas na escola é diferente. Fico muito calada. Sou boa amiga, mas não consigo me soltar! Isso me incomoda pois parece que meus amigos não me conhecem de verdade. Eles dizem que gostam do meu jeito e me constrangem, brincando comigo, me apelidando porque dizem que sou muito fofa, mais acho divertido, mas não controlo minha timidez e constrangimento.

    Eu os amo muito e gostaria que eles vissem meu lado alto-astral, não só a intelectual, boa-ouvinte... Queria agir de forma mais natural, como sou na minha casa. Será que tenho algum problema? Tenho baixa estima por ser gordinha, será que isso influencia?

    Eu agradeço desde já sua ajuda.

    ResponderExcluir
  8. Tenho 16 anos e me relaciono melhor com pessoas mais velhas... Nunca gostei de holofortes, mais os meus melhores amigos são mais sociaveis e populares. As vezes acho que não temos muito em comum, que eles preferem outras pessoas.

    Obrigada novamente e peço sua ajuda, pois essa alteração de comportamento esta me deixando incomodada e muito deprimida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline.
      Mto obrigada pelo seu rico comentário aqui no Divã. Fico feliz em saber que nosso artigo te ajudou a esclarecer alguns pontos sobre esse assunto.

      Nossa autoestima é formada por aquilo que a gente pensa, sente e faz em relação a si mesmo. Se vc se sentir inadequada ou desconfortável pelo fato de estar gordinha como vc mesma diz, pode ser que isso esteja influenciando sua interação social sim. Mas acredito que não seja só isso.

      Eu te aconselho a procurar ajuda profissional na sua cidade. O psicólogo pode te conduzir nesse processo de autoconhecimento, autoaceitação, correção de pensamentos disfuncionais e várias outras coisas. Tenho certeza que vai ser muito proveitoso pra vc. O seu comprometimento é essencial.

      Estou aqui na torcida. Conta cmg.

      Grande abraço!

      Excluir
    2. Obrigada pela ajuda e desculpe a demora em responder.
      Desde o começo do ano tenho tentado me soltar mais, entrar em atividades que realmente gosto. Me sinto melhor e tenho falado um pouco mais, me expressados mais.... Enfim, acho que que dei um grande passo

      Muito obrigada pela ajuda e pelo blog, A senhora não faz menção do quanto nos ajuda com simples comentário... Muito obrigada mesmo.

      Excluir
  9. Eu acho que na verdade eu sou extrovertida, mas estou presa dentro da timidez. rsrs isso é possível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Obrigada pelo seu comentário.
      Procure fazer um processo terapêutico para ajudar você a desenvolver autoconhecimento e seu potencial interior. Vai contribuir para "libertar" tudo aquilo que estiver "aprisionado" dentro de você. Grande abraço.

      Excluir
  10. meu filho de 11 anos era muito introvertido, foi então que eu resolvi instalar o www.brunoespiao.com.br no celular dele. Descobri que ele estava sofrendo bullying. Troquei-o de escola e agr ele mudou da água pro vinho

    ResponderExcluir