domingo, 7 de junho de 2015

A moda dos livros para colorir e seus reais efeitos terapêuticos


Recentemente, os livros de desenhar para adultos têm sido alvo de destaque nas mídias sociais. Trata-se de livros com desenhos elaborados em que a pessoa precisa colori-los sob o argumento de serem antiestresse. 


(Imagem: Google Imagens)

É importante sabermos que toda atividade considerada calma e que exija concentração, tem esse efeito "antiestresse", assim como teriam também os mesmos efeitos ao desenhar um quadro, tocar um instrumento, ler um livro agradável (para aqueles que apreciam a leitura), fazer crochê ou outros trabalhos manuais, e até andar de bicicleta na beira da praia. Não existe uma explicação extraordinária. Colorir figuras é um RECURSO interessante para ser utilizado como ACESSÓRIO de outras terapias, não devendo, portanto, ser usado como substituto de alguma outra metodologia terapêutica eficaz.

Por que algumas pessoas aderiram o gosto por colorir livros?

1º Porque remetem à infância. Lembrar das nossas atividades prazerosas de quando éramos crianças nos traz uma sensação saudosa e resgatamos uma parte das nossas memórias infantis tão queridas por todos nós.

2º Exige um mínimo de concentração e envolvimento com a atividade de colorir, o que faz com que as pessoas não fiquem pensando tanto em seus problemas e preocupações diárias.

3º É algo simples, pode ser feito em qualquer lugar e não exige muito esforço.

4º Ativa o sistema de recompensa do cérebro, pois depois de o desenho estar colorido a pessoa  contempla o resultado do seu trabalho e esforço empreendido naquela atividade.

O que é importante saber?
 

A ideia de colorir figuras é válida desde que ela não seja utilizada no lugar de uma ferramenta psicoterápica mais necessária para o indivíduo. Devemos lembrar que o efeito "antiestresse" é paliativo, ou seja, temporário. Ele também não identifica a causa do estresse, nem trata o indivíduo como um Ser.

Alguns profissionais têm defendido a opinião quanto os efeitos proporcionados pelos livros para colorir, inclusive,  há concordância de que o ato de colorir ativa áreas cerebrais que contribuem para a sensação de bem estar. Lembrando que áreas cerebrais são ativadas quando praticamos qualquer ato que nos proporcione satisfação e prazer. A ressalva presente nesse texto é que os livros não devem ser utilizados como tratamento para demandas psicológicas. Nesse caso, eles devem ser AUXILIARES a outros recursos que já estão sendo empregados.

Portanto, se a pessoa tem sintomas de ansiedade e estresse que interferem negativamente em alguma área da sua vida, devem procurar o psicólogo e, caso necessário, também o psiquiatra para prescrever a medicação apropriada.

Para quem são recomendados os livros de colorir?

O livro é para quem quiser e se interessar pela proposta dele. Entretanto, é importante estar consciente de que deve ser um público que encontra-se em harmonia psicológica na maior parte do tempo de sua vida diária, ou o público que recebeu a orientação de um profissional para colorir o livro como complemento de alguma terapia que já esteja sendo utilizada. Colorir livros esperando que eles sozinhos apresentem efeitos perduráveis sobre nossas emoções é agir com descuido em relação a nossa saúde psíquica. Todavia, usá-los como distração, ou complemento terapêutico é um recurso aceitável.
 
Lembre-se: utilizar os instrumentos adequados e corretos para a nossa saúde emocional, é essencial para atingirmos o tão desejado bem estar duradouro.

Mileni Barros












Nenhum comentário:

Postar um comentário