quinta-feira, 16 de julho de 2015

O poder da profecia autocumpridora





Profecia autocumpridora é um termo referido quando alguém cumpre aquilo que foi proferido a seu respeito. Profecia significa prever o futuro, mas nesse caso, ela não é propriamente uma previsão que alguém fez, pois depende de quem ouviu a "profecia" cumprir essa "previsão" ou não. Por essa razão, é acompanhada da expressão "autocumpridora".

As profecias autocumpridoras se formam a partir de palavras ou expressões que foram declaradas repetidas vezes pelos pais, parentes ou pessoas próximas, ainda na infância e adolescência, tornando-se crenças nucleares, ou seja, ideias enraizadas que se tornam "verdades" absolutas e pessoais na mente não consciente.

Crianças e adolescentes, que ouvem frequentemente as mesmas expressões a respeito de si, podem internalizar e acreditar no poder das palavras que são ditas, fazendo com elas que se cumpram. 

O poder das palavras está no fato de ACREDITARMOS nelas, por isso podem se tornar crenças. Nosso cérebro, então, memoriza e arquiva essas informações para, posteriormente, fazer uso delas em outra situação.

Exemplos de afirmações que podem se tornar profecias autocumpridoras: "Você nunca faz nada direito. É um desastrado".
"Você não tem cérebro?  Parece um burro!". "Menino gordo e tonto!"; entre outras do tipo. 

O mesmo acontece em relação às afirmações saudáveis, podendo se tornar crenças e realizações positivas no futuro. 

Normalmente, tudo o que os pais ou responsáveis ensinam e falam a respeito de seus filhos durante a infância, é acatado com propriedade, pois nessa fase eles são nossa referência mais forte. 

Os pais e parentes próximos devem estar atentos às palavras que dizem quando se dirigirem aos filhos. Caso você conviva com alguma criança, não diga à ela palavras que denigram sua autoimagem. Ao contrário, incentive os esforços e habilidades delas, mostrando que podem ter bons resultados em seu desempenho. 

As pessoas que notarem que há relação entre afirmações influentes que foram ditas ao longo de sua história com situações atuais de sua vida, podem seguir as seguintes orientações:
1º: Identificar essas expressões de efeito negativo, inclusive as que pensa sobre si mesmo.
2º: Desconstruir essas expressões utilizando como parâmetro as evidências em que elas não surtiram efeito.
3º:  Substituir as crenças por afirmações positivas que tenham significado e valor emocional. 
Exemplo: "Nunca faço nada direito", pode ser substituída por "Cada um faz as coisas de uma maneira. Eu aceito o meu jeito de fazer as coisas e acredito que posso me aperfeiçoar cada vez mais".

4º: Reforçar suas características positivas e talentos pessoais.
5º: Lembrar que essas afirmações só tiveram efeito sobre nossa história por que acreditamos nelas. Parafraseando Sartre, somos os únicos responsáveis por aquilo que fazemos daquilo que fazem de nós. As palavras têm o poder que damos a elas.
6º: Faça uma psicoterapia. Durante as sessões o psicólogo usará uma série de métodos que o ajudarão a eliminar crenças disfuncionais e a fortalecer sua autoimagem e identidade. É um processo incrível de desenvolvimento do potencial humano.
Invista em você.
Mileni Barros


Nenhum comentário:

Postar um comentário