domingo, 23 de agosto de 2015

Linha teórica ou psicologia? O que você defende?




A psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano e os processos mentais. Durante muitos anos de estudos e pesquisas, algumas variadas vertentes foram surgindo de acordo com o enfoque abordado pelos pesquisadores. A partir de então, surgiam as linhas teóricas de abordagens terapêuticas dentro da psicologia. São estas as principais: psicanálise, gestalt-terapia, humanista-existencial, terapia cognitivo-comportamental, entre outras.

São métodos para acompanhamento psicológico em que ambos visam o equilíbrio psíquico na vida do indivíduo. TODAS essas abordagens terapêuticas apresentam resultados e desempenho eficazes ao longo da psicoterapia.

O que seria da psicologia sem o grande legado de Freud ao se aprofundar no estudo do inconsciente e discorrer tão bem sobre as emoções reprimidas, recalque, édipo, sintomas de conversão e outros conceitos?  O que seria da psicologia sem a ideia de percepção tão bem expandida pela gestalt-terapia? Tudo muda quando mudamos nossa percepção do que é figura e do que é fundo. Podemos praticar essa ideia a cada instante de nossas rotinas. E os experimentos tão sistematizados da abordagem cognitiva comportamental? A humanização vinda das abordagens existenciais, a visão da autenticidade, o legado dos grandes filósofos existencialistas sobre o livre arbítrio e o questionamento maiuêtico. Tantos pensamentos e pensadores incríveis que contribuíram tão bravamente para a encantadora ciência do comportamento humano e dos processos mentais: a nossa psicologia.

O bom profissional da área da saúde é aquele que valoriza a psicologia como um todo e não supervaloriza uma linha de tratamento em detrimento da outra. Os psicólogos escolhem suas abordagens terapêuticas baseados na afinidade e naquilo que faz mais sentido para eles. O fato de escolherem uma vertente teórica não retira em nada a eficácia das outras.
 
Reavalie a postura profissional do psicólogo, ou médico psiquiatra, que diz que uma linha terapêutica é mais eficaz do que a outra. O ser humano é complexo demais para se afirmar tal coisa e a melhor forma do tratamento psicológico surtir efeito é também através da empatia entre paciente e terapeuta. Empatia, transferência, ou contratransferência, como queira chamar,  mas é preciso ter confiança e identificação com o profissional. Havendo empatia e confiança, a linha terapêutica vai ser apenas um detalhe. O que faz um profissional de destaque é o bom procedimento que ele apresenta e não supostas dissonâncias conceituais. 

Somos todos da psicologia. Valorizamos essa ciência incrível que tem contribuído grandemente para várias outras profissões e para o crescimento do ser humano como um todo.

Sejamos profissionais conscientes. Mostremos nosso conhecimento e não nossas preferências. Lembremos sempre que nosso objetivo é promover saúde e bem estar através do conhecimento proveniente da ciência. Nossa missão é o equilíbrio emocional daqueles que contam com a nossa cultura profissional. 

Mileni Barros



 




Nenhum comentário:

Postar um comentário