quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Como superar a culpa




 Escrito por Mileni Barros
Psicóloga & Coach
Hipnose Terapêutica

Geralmente, a culpa é causada por um julgamento negativo que fazemos de nós mesmos ou dos outros. A culpa funciona como um mecanismo de censura que acusa e julga os atos humanos. Trata-se de uma emoção natural do ser humano, comumente originária da ligação de fatores sócioculturais e autoconsciência, porém, nociva ao equilíbrio emocional quando sentida de maneira constante. As pessoas podem conviver com a culpa guardada dentro de si por muito tempo, até o momento em que as emoções se desestabilizam e exigem uma atenção mais forte que costuma vir acompanhada de algum sofrimento psíquico.

A culpa causa tristeza, remorso, abatimento, vergonha e outras emoções. Pessoas com depressão se culpam com mais frequência, sendo a culpa a emoção base a ser tratada nesses quadros clínicos. 

As pessoas geralmente se culpam pelo que fizeram, ou, pelo que deveriam ter feito, mas não fizeram. Ou seja, costumam se culpar por aquilo que causaram nos outros, gerando um peso na consciência. 

É importante saber que:

-- Em alguns casos a culpa está encoberta por outras situações ou emoções de forma muito sutil. Como por exemplo: sentir-se culpado por ter o que o outro não tem e vice-versa. Ou sentir-se culpado por ser quem é ou quem se tornou ao longo da vida. 


-- Pais severos e/ou ausentes tendem a causar culpa nos filhos, pois sem que haja intenção, esses pais fazem os filhos se sentirem ineficientes, incapazes ou não dignos de amor. No futuro, costumam se tornar adultos com facilidade a se sentirem culpados por quase tudo.

-- Normalmente, as mulheres sentem mais culpa por serem também mais empáticas.

É relevante fazer a distinção entre culpa e responsabilidade por nossos atos. A culpa enfraquece a autoestima, extingue a alegria e sufoca a essência do Ser. A responsabilidade cria em nós a consciência por quem somos e a convicção de conserto e aperfeiçoamento dos nossos atos.

Como se livrar da culpa:

1- Autoconhecimento -  Reconhecer quem somos, os traços de personalidade que carregamos, nossas qualidades e imperfeições, ações e reações. Por que somos da maneira que somos? Como lidamos com isso e o que podemos fazer para melhorar? O que nos motiva? O que traz alegria e impulsiona nossos atos?

2- Autoaceitação - Aceitar os fatos que ocorreram em nossa trajetória, compreendendo nossa história de vida, nossas escolhas e influências de fatores externos.

3- Perdão - Perdoar a nós mesmos e aos outros por aquilo que culpamos é a medicação essencial para termos emoções positivas e equilibradas. 


Sentir-se culpado, embora seja algo inerente ao ser humano, não deve se transformar num sentimento constante. Busque formas de se desfazer de toda a culpa que passar pelo seu coração e tenha uma vida realizada e feliz de verdade. Você consegue! Você merece!

Mileni Barros
Psicóloga 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário