quarta-feira, 13 de junho de 2018

Como melhorar a autoestima




Escrito por Mileni Barros
Psicóloga e Coach
Hipnoterapeuta


A autoestima está associada à forma como o indivíduo se relaciona consigo mesmo e como ele se vê. Sabemos que a maioria das pessoas deseja aprimorar sua  autoestima, e devido a estudos desenvolvidos na área da psicologia é possível aperfeiçoar nossa autoimagem. Então, o que podemos fazer para desenvolver uma boa autoestima? 

- Evite se criticar com frequência. Pensamentos de autocrítica distorcem nossa autoimagem e diminuem nossa percepção  de capacidade.
Pensamentos do tipo: “faço tudo errado”, “não consigo”, “não posso”, “não sei”, “não sei pra que eu fiz isso”, entre outros com mesmo sentido, são críticas negativas que nos levam à auto depreciação.
Entenda que reconhecer os erros não é crítica, pelo contrário, favorece o autoconhecimento, promove reflexão sobre nossos atos e, consequentemente, o auto aperfeiçoamento.
A crítica negativa que se faz a si mesmo de forma constante é nociva para a autoestima. Portanto, evite se criticar negativamente com frequência.

    -  Evite também se comparar com as outras pessoas. Cada um tem uma história de vida, personalidade e visão de mundo diferentes, e isso faz com que tenhamos características únicas.
Somos influenciados de diversas formas: família; sociedade; estilo de vida; condições sociais e financeiras; e isso tudo reflete em nossa maneira de ser.
Procure se aceitar do jeito que você é. Aceite e ame sua história vivida até agora. Podemos nos inspirar em histórias de sucesso, mas comparar a nossa com a dos outros não faz bem para a autoestima.

   - Liberte-se de medos que paralisam sua vida. Exemplo: medo do futuro, medo de se arrepender, medo de pessoas, medo de dizer não, medo de dirigir, de viajar, de se expressar, medo de amar novamente, entre outros.
É importante saber que o medo manda uma mensagem inconsciente para nossa mente de que não somos capazes, e isso interfere negativamente em nossa autoestima.

    - Faça o que gosta. Aceite desafios. Procure ter vida social e momentos de lazer, valorize ainda mais tudo o que você possuir.
Dê uma pausa de quinze minutos na sua rotina para relaxar, pensar em coisas boas, e dizer para si mesmo: “eu vou conseguir”. Procure canalizar funcionalmente emoções como raiva e tristeza para fora de você e não reprimi-las. Faça isso conversando com alguém e fazendo uma atividade física regular, por exemplo. A psicoterapia é uma forma eficaz de ressignificarmos nossas emoções.

Adotando todos esses procedimentos diariamente, nossa autoconfiança se eleva e a autoestima se aperfeiçoa trazendo benefícios para nossa vida diária.

Amor próprio é o item essencial da boa autoestima. Quando mudamos a visão e os sentimentos que temos sobre nós mesmos, mudamos o mundo ao nosso redor.  
Permita-se.

Mileni Barros
Psicóloga

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Como recuperar o controle emocional diante de situações desafiadoras



 
Escrito por Mileni Barros
Psicóloga & Coach
Hipnose Terapêutica


Nem sempre conseguimos manter o controle emocional o tempo todo porque algumas situações possuem um componente emotivo mais intenso, podendo causar tristeza, abatimento e irritação. A forma ideal para ter equilíbrio emocional nos momentos desafiadores e que tendem ao desequilíbrio, é exercitando a estabilidade emocional ao longo de um dia comum, mesmo fora das situações de estresse e de oscilações emocionais.  Ao treinar a nossa estabilidade emocional de forma contínua conseguimos retornar a esse estado de equilíbrio quando as coisas fugirem do nosso controle emocional. 


Quando a gente está diante de um sofrimento ou conflito emocional, a primeira coisa que a gente precisa fazer é ficar consciente das dificuldades que estamos passando. Isso quer dizer estar consciente de si mesmo, ou seja, do que está por trás do que você está sentindo e fazendo. E não simplesmente “saber que estou passando por um problema”.


Então, organize seus pensamentos e responda atentamente: - Qual é a minha real dificuldade diante desse problema? Se tiverem mais pessoas envolvidas, procure pensar naquilo que é desafiador apenas para você e evite responsabilizar terceiros pelas suas emoções.

Responda também: 
- Eu estou com dificuldade de aceitar o que aconteceu? 
- Sinto necessidade de falar algo que não consegui falar? 
-Estou me sentindo envergonhado, injustiçado ou desamparado? 
- Quais decisões eu posso tomar para solucionar meus sentimentos
- Preciso ter uma comunicação mais clara? 
Se faça outras perguntas também pra você identificar qual é a sua real dificuldade em lidar com a situação que tirou o seu controle emocional.